Daniel Fernando Ribeiro César

Sofro de Superendividamento. O que fazer?

Sofro de Superendividamento. O que fazer?

Estou superendividado. O que fazer?

É complicada a situação da pessoa superendividada. Os bancos por seu lado facilitam o crédito até não poder mais, e o consumidor, o correntista se vê seduzido pelas beneces dos contratos bancários.

Fazer um empréstimo bancário é ter certeza que você vai dar dinheiro a um banco. Você vai, na pressa de adquirir um bem, pegar um dinheiro que era seu e de sua família, e vai destinar este dinheiro para alguma instituição bancária.

É justo uma pessoa que mal consegue juntar 10 mil reais para comprar um carro, pegar um empréstimo de 20 mil reais, que por sua vez vai pagar mais 20 mil reais de juros, totalizando 40 mil reais, ou seja 20 mil reais de juros? Imaginemos se uma pessoa não consegue ajuntar 10 mil reais em 5 anos, vai conseguir nos mesmos 5 anos ajuntar a força 40 mil reais, sendo a metade destinada a bancos? Tem muita gente vivendo uma vida destinada a entregar seu dinheiro aos bancos. Vejam quantos e quantos leilões de imóveis, veículos, apreendidos simplesmente de pessoas que não conseguiram pagar suas dívidas.

E se começa a atrasar a dívida, o gerente dá aquele sorriso amarelo e te chama a sua mesa. Você se senta lá e ele fala que você deve renegociar, aquela dívida que você tinha não pode ser mais paga. Aquelas prestações que você devia, você não pode mais pagar. Então ele lhe propõe uma nova forma de pagar a dívida, ops, na verdade o que ele não lhe fala, é que agora você está fazendo uma NOVAÇÃO. Você está na verdade RENOVANDO UMA DÍVIDA, ASSUMINDO UMA NOVA DÍVIDA QUE NÃO VAI PODER CONTESTAR JUDICIALMENTE, QUASE SEMPRE, MUITO MAIOR DO QUE A INICIAL. Ai você se pergunta: – Como os bancos fazem isto comigo? A intenção do seu gerente não é ser seu amigo, é ser amigo do seu dinheiro.

Abra os olhos, nesta situação, somente quem vai poder te ajudar é um advogado, um bom advogado especialista em direito bancário. Seja fazendo uma ação de CONSIGNAÇÃO DE PAGAMENTO, fazendo o banco aceitar aquelas 2, 3 prestações que ele não quer mais receber, porque quer te empurrar um novo acordo. Nesta horas é que você vai entrar com uma Ação Revisional Bancária e/ou uma Ação de Exibir Contas (Antiga Ação de Prestação de contas, confesso o nome anterior faz mais sentido), e fazer que o banco te ofereça uma negociação muito melhor. Tenha em mente, negociar na justiça, mesmo que tenha um custo relativamente alto, é muito mais vantajoso do que negociar administrativamente.

Hoje em dia existem muitas pessoas que vivem e trabalham só para pagar juros ao bancos. Realmente a escravidão ainda existe! Muitas vezes pessoas compulsivas que não conseguem esperar, pessoas que não vêem a hora de pagar a última prestação de um empréstimo para contratar um novo. Se você se identifica com isto, tenha força de vontade, lute para sair disto, saia dos cartões de créditos, saia dos empréstimos bancários. Espere o seu salário sair, não gaste antes. Não conte com o ovo na bunda da galinha.

O Egrégio TJDFT disponibilizou uma seção inteira de seu site apenas para tratar sobre superendividamento. Esta situação é muito difícil, a falta de conhecimento se torna um grande inimigo, muitas vezes são idosos que param de comprar remédios para saldar dívidas bancárias. Quem é que confessa a um amigo que deve empréstimo vultuosos a bancos? Hoje em dia as pessoas não contam um ao outro nem que seu carro é financiado, quanto mais que devem aos bancos.

E são pessoas que na pressa de terem as coisas, de obterem os bens, se vêem cada dia mais seduzidos pelas ditas “beneces bancárias”, vítimas de instituições por mais estilosas e agradáveis que são, só visam unica e exclusivamente o lucro.

Como diz em provérbios: “O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta. Provérbios 22:7″

Marque uma consulta, venha conversar conosco.

http://www.danielcesar.adv.br

email: contato@danielcesar.adv.br